Select Menu

ads2

ads2
Gabi Veículos - Av. Nossa Senhora Aparecida ao lado da Selaria Matos

Slider

Notícias de Turvo

Cute

My Place

PROMOÇÕES

Eventos

Videos

Wilker sofreu um infarto e morreu em sua casa, no Rio de Janeiro

Morreu na manhã deste sábado, aos 69 anos, o ator José Wilker. O ator foi vítima de um infarto e faleceu em sua casa, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Wilker deixa duas filhas: Mariana e Isabel. Ainda não há informações sobre o velório.
José Wilker nasceu em 20 de agosto de 1944 em Juazeiro do Norte, no Ceará, e mudou-se ainda criança para Recife, onde iniciou sua carreira no rádio. Aos dezenove anos, se mudou para o Rio de Janeiro para estudar Sociologia, mas logo deixou o curso para se dedicar ao teatro. Sua primeira participação no cinema foi no filme A Falecida (1965). O ator estreou em uma novela em 1971 em Bandeira 2, exibida pela Globo.
Wilker atuou em cerca de trinta novelas na Globo. A última participação do ator em uma novela foi em 2013 em Amor à Vida, na qual interpretou o médico Hebert. No ano anterior, José Wilker participou de Gabriela com o personagem Jesuíno, um coronel que matou sua esposa, interpretada por Maitê Proença, após descobrir uma traição. Outros personagens marcantes do ator incluem o bicheiro Giovanni Improtta em Senhora do Destino (2004), Roque Santeiro, na novela homônima (1985), Rodrigo, protagonista de Anjo Mau (1976), e Juscelino Kubitschek, na série JK (2006). No cinema, Wilker participou de filmes como Bye Bye Brasil (1979) e Dona Flor e Seus Dois Maridos (1976). Ele também trabalhou como diretor em programas humorísticos, como o Sai de Baixo. 
Despedida — A notícia da morte de José Wilker surpreendeu seus admiradores e colegas de profissão. Pelas redes sociais, artistas escreveram mensagens lamentando a morte do ator e deixando mensagens de despedida. Em entrevista ao canal Globonews, a atriz Renata Sorrah, que trabalhou com Wilker em diversas novelas, disse estar chocada com a notícia sobre "seu grande amigo de tantos anos".
Fonte: Veja

Os dois têm cafeína, um estimulante comprovado. Mas não na quantidade necessária para manter alguém acordado por muito tempo.

Está cheio de motorista e baladeiro por aí que toma café com Coca-Cola para varar uma noite acordado. A crença é de que, misturando duas bebidas com alta concentração de cafeína, o sono vai embora. Mas quem disse que há tanta cafeína assim nessa mistura?

Uma lata do refrigerante, segundo o fabricante, tem algo entre 30 e 60 mg de cafeína. Já uma xícara de café apresenta entre 25 e 50 mg. Agora faça as contas: somando as duas doses, você estará ingerindo, no máximo, 110 mg de cafeína - pouco para espantar o sono de alguém. Até 400 mg por dia, o consumo é considerado apenas moderado. Portanto, não é uma xicarazinha de café com uma lata de Coca-Cola que vão ajudá-lo a passar uma noite inteira em claro.

A partir dos 200 mg, a capacidade de atenção e concentração pode ser prolongada, havendo um aumento na velocidade de percepção de certos estímulos visuais e auditivos. Mas isso não significa que a pessoa fica imune à sonolência. Apostar nessa mistura para não dormir ao volante, por exemplo, é uma grande roubada.



Chá com chocolate? 
Essa combinação tem mais cafeína que café com Coca-Cola 

Por que misturar café com Coca-Cola? Se a ideia é ingerir uma dose elevada de cafeína (desaconcelhada por médicos e nutricionistas), chá com chocolate funcionaria mais. Veja no quadro ao lado a concentração dessa substância em algumas bebidas e alimentos.


CAFÉ COADO
Xícara de 50 ml
Cafeína: 25 a 50 mg


CHOCOLATE AO LEITE
Barra de 60 g
Cafeína: até 50 mg


CAPUCCINO
Xícara de 80 ml
Cafeína: 80 a 100 mg


CAFÉ EXPRESSO
Xícara de 50 ml
Cafeína: 50 a 80 mg


CHÁ MATE OU PRETO
Xícara de 180 ml
Cafeína: 30 a 100 mg


COCA-COLA 
Lata de 350 ml
Cafeína: 30 a 60 mg

Com base em informações preliminares, a Polícia Civil suspeita que o médico de 52 anos, que não teve o nome divulgado, tenha cometido suicídio.

Um médico cubano participante do programa Mais Médicos, do governo federal, foi encontrado morto na tarde desta segunda-feira no hotel onde morava, em Brasília. Com base em informações preliminares, a Polícia Civil suspeita que o médico de 52 anos, que não teve o nome divulgado, tenha cometido suicídio. Ele foi encontrado com um lençol enrolado no pescoço.
Leia também:

O corpo do cubano passa por exame do Instituto de Medicina Legal (IML). A Embaixada de Cuba aguarda a liberação para poder enviá-lo ao seu país. De acordo com o Ministério da Saúde, todo o trâmite será coordenado pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), órgão que faz a intermediação da vinda de cubanos ao Brasil, conforme previsto em contrato firmado entre os países.
O cubano não estava atendendo pelo programa. Segundo o Ministério da Saúde, ele ainda passava pelas etapas preliminares previstas pelo Mais Médicos. A pasta não informou há quanto tempo o médico estava em Brasília.
Fonte: Veja

Promoções válidas para 01/04/2014 a 10/05/2014

- -